Como aumentar pacientes sem gastar muito?



Alo, alo doutores, tudo bem? Quando eu tinha 7 anos de idade, morava em uma cidade chamada Uberaba, MG. Próximo a minha rua tinha uma mercearia que vendia quase tudo. O dono dela se chamava Joaquim e ele tinha uma habilidade fora do comum. Eu a chamo de memória.  Ele tinha uma habilidade de lembrar de todos os seus clientes, mas não somente lembrar deles, ele lembrava também de seus gostos e preferencias. Ele sabia por exemplo que meu pai gostava de queijo fresco, mas que não fosse tão mole. Minha mãe gostava de chocolate e que eu e meus irmãos amávamos Fanta laranja.  Todas as vezes que tu tinha que ir nessa vendinha me sentia feliz, hoje trabalhando tantos anos com empresas descobri porque. A história das organizações é algo engraçado. No início existia uma relação de um para um, ou seja, o dono das empresas conhecia profundamente seus clientes, assim como o Sr. Joaquim de Uberaba. Mas de uns tempos para cá, essa relação passou a ser de um para muitos, e os donos de negócio perderam totalmente a relação com a pessoa mais importante de sua empresa, aquele que paga as suas contas.  Quer aumentar o numero de pacientes sem gastar nada? Seja como o Sr. Joaquim. Retome a rédia do seu negócio. Ame estar com seus clientes. Entenda-os. Cultive-os. Quer saber como: Anote ai 6 coisas que o Joaquim fazia e que você também deve fazer.

  1. (Humildade) Ele me chamava pelo nome. Ah, todo mundo sabe disso, mas por que será que quase ninguém pratica? Eu imagino que seja preguiça.

  2. (Interesse pelo outro) Ele sabia muitas coisas sobre mim. Não só sobre alimentos, mas sobre interesses pessoais. Eu sou flamenguista ele era o que eu quisesse. Não que ele se vendia a qualquer preço, mas ele se transformava no meu melhor amigo. Impressionante!

  3. (Cuidado) Ele só trabalhava com produtos de melhor qualidade, e sabe qual era a marca desses produtos? A que eu mais gostava. 

  4. (Desprendimento) De alguma forma ele me fazia sentir que não era pelo dinheiro, porque diversas vezes ele me deixou levar o que eu queria para pagar somente depois. 

  5. (Transparência) Ele me permitia conhecê-lo, eu sabia tudo sobre a vida dele. Sobre sua esposa, dona Margarida, seus filhos e netos. Como era bom fazer parte da vida deles. 

  6. (Integridade) Ele realmente me fazia feliz. Tanto que se passaram 30 anos e ainda me emociono em lembrar dele. 

Este vídeo vai em memória do Sr. Joaquim e sua esposa que já não estão entre nós. Que possamos ter mais pessoas como eles entre nós. Você topa? Porque eu já me decidi!

Um forte abraço e até a próxima sugestão em saúde!

E-mail: contato@onedoctorbrasil.com.br
Horário atendimento: 09h - 18h